Cavaleiros do Zodíaco - 15 anos atrás, desenho animado de fã inspirou anime inédito


Na metade dos anos 90, quando o anime de "Cavaleiros do Zodíaco" estourou no Brasil, fãs mais curiosos da série sabiam que o desenho animado não mostrava o verdadeiro final das lutas de Seiya e os outros.

Enquanto o anime ia até o final da Saga de Poseidon, quando os guerreiros de bronze enfrentam o deus dos mares e os Generais Marinas, o mangá tinha uma saga adicional em que eles enfrentam Hades, senhor dos mortos.

Cheia de momentos marcantes, a Saga de Hades foi durante mais de uma década o final oficial da história até o autor Masami Kurumada começar a publicar em 2006 o arco "Next Dimension".
Porém, o estúdio Toei Animation nunca demonstrou interesse em fazer uma versão animada de Hades, apesar dos pedidos de fãs, especialmente fora do Japão, onde o anime de "Cavaleiros" fez muito sucesso anos após deixar de passar por lá.

Ainda assim, a trilha sonora chegou a ser feita e lançada em CD, sendo que a arte de capa do disco dava breve vislumbre das novas armaduras dos heróis e a principal surpresa desse arco: Shun surge como a reencarnação do vilão Hades.

É aí que aparece o artista francês Jérome Alquié, na época com 27 anos, um fã de Cavaleiros que tomou para si a tarefa de tentar tornar isso realidade.









Arquivo pessoal

Com seus curtas animados, Jérome Alquié inspirou a Toei a fazer o anime da Saga de Hades Imagem: Arquivo pessoal



 
Em 2000, ele começou produzir junto com mais quatro pessoas dois trechos animados inspirados na Saga de Hades.

Um deles, chamado "Dead or Dead", mostra um encontro entre Ikki, ainda criança, e a vilã Pandora. Ikki carrega nos braços o irmão mais novo Shun, então um bebê, e o vídeo mostra também o medalhão em formato de pentagrama com a inscrição "Yours Ever", que sinaliza que Shun é a reencarnação atual de Hades.

O outro leva o nome "Adieu Gold Saints" e mostra diversos momentos clássicos da saga no mangá transpostos para o estilo do anime.

Por sinal, Jérome se inspirou nos designs criados pelo artista Shingo Araki, que fez os desenhos de "Cavaleiros do Zodíaco" no anime, muito mais detalhados do que no mangá - e, para muitos fãs, melhores do que os do próprio Masami Kurumada, criador de Cavaleiros.

Os curtas animados foram mostrados em vários eventos de anime pela França, incluindo o Cartoonist, onde Jérome chegou a mostrar as obras para o próprio Araki.



A comoção dos fãs foi geral e, mesmo em uma época em que a internet ainda não era tão rápida e consolidada, os vídeos se espalharam como fogo em rastilho de pólvora.

Dada a resposta e o interesse cada vez maior de fãs pelo mundo todo em novas obras, action figures e outros produtos de "Cavaleiros do Zodíaco", a Toei enfim cedeu e anunciou a produção da versão em anime da Saga de Hades.


O lançamento foi marcado para 2002 em formato OVA (Original Video Animation), como episódios lançados avulsos em VHS ou DVD, não como série transmitida pela TV, e seria retratada somente Santuário, a primeira de três partes da história completa.

A qualidade do traço, superior à vista no anime clássico, empolgou muitos fãs, mas a nova saga não escapou de certa polêmica no Japão: os dubladores dos personagens principais foram trocados, visto que os donos das vozes originais já estavam velhos demais para repetir o mesmo tom. Vale notar, o mesmo não aconteceu no Brasil, e praticamente todos os dubladores do anime clássico reprisaram seus papéis em Hades.



Arquivo pessoal
Desenho de Ikki de Fênix feito por Jérome para uma exposição Imagem: Arquivo pessoal
O sucesso junto ao público chegou até a empolgar a Toei a investir no longa-metragem "Prólogo do Céu", em 2004, uma tentativa de continuação de Hades.

A obra foi recebida com opiniões variadas, principalmente pelo tom mais sombrio e muito menos ação do que de costume em episódios e filmes de "Cavaleiros".

Por conta desse fracasso, toda a equipe de produção do anime foi trocada.
Algumas brigas de Masami Kurumada com a Toei colocaram em risco a continuação do desenho animado, mas logo tudo se resolveu e vimos o lançamento também das partes Inferno e Elísios - com clara queda na qualidade de traço e animação, diga-se de passagem.

Jérome não participou do projeto, mas fez uma contribuição importante para o anime, mostrando a força dos fãs fora do Japão.
Ele trabalha até hoje como desenhista em obras originais, mas de vez em quando ainda faz algumas artes de "Cavaleiros do Zodíaco".

FONTE: UOL
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »