Top 5 - Espadas Lendárias

Hoje trazemos aqui um Top 5 super bacana e detalhado sobre Espadas lendárias.
Para alinhar as expectativas, vamos começar pela definição de lendário:

lendário

adjetivo
1. concernente a ou que tem o cunho de lenda.
2. que só existe ficticiosamente.
3. muito conhecido; célebre.
4. substantivo masculino
B coletânea de lendas.

Origem
⊙ ETIM lenda + -ário

Ou seja, vamos abordar espadas muito conhecidas, mas que não existiram necessariamente. São frutos de lendas, folclore, ou mesmo ficção. Mas para não ficar só no mundo do faz de conta, e já começar falando de sabres de luz, por exemplo, vamos abordar espadas muito conhecidas que possuam um pano de fundo histórico e cultural.
Dito isso, abaixo segue o nosso TOP 10 de Espadas Lendárias.

1 - Az Isten Kardja a espada de Átila o Uno 

também chamada Espada de Marte, ou a Espada do Deus da Guerra



Átila, o Huno (406 – 453), conhecido como "O Flagelo de Deus", foi o último e mais poderoso rei dos Hunos. Governou o maior império europeu de seu tempo desde 434 até sua morte. Suas possessões se estendiam da Europa Central até o mar Negro, e desde o Danúbio até o Báltico.
Em seu tempo, a espada era  a lei, e como ele alegadamente detinha a espada do Deus da Guerra, ele fazia a lei...


Lendas húngaras referem a ela simplesmente como "Az Isten Kardja," a espada de Deus.
Átila a usou tanto como uma arma militar como um símbolo do poder divino, o que contribuiu para a sua reputação como "O flagelo de Deus", um executor divinamente designado.
Diz o historiador Prisco que foi descoberta nas seguintes circunstâncias:
"Certo pastor descobriu que um terneiro de seu rebanho mancava e não foi capaz de encontrar a causa da ferida. Seguiu ansiosamente o rastro de sangue e encontrou ao final uma espada com que o animal havia se ferido enquanto pastava na relva. Recolheu-a e levou-a diretamente a Átila. Este deleitou-se com o presente e, sendo ambicioso, pensou que havia sido destinado a ser senhor de todo o mundo e que, por meio da Espada de Marte, tinha garantida a supremacia em todas as guerras."


2 - Gram a Espada de Siegfried 

também chamada Balmung ou Nothum



Siegfried é um herói lendário da mitologia nórdica e personagem central da Saga dos Volsungos.
Ele é o filho póstumo de Sigmund com sua segunda esposa, Hiordis.
Sigmund morre em batalha quando ataca Odin, e Odin destrói sua espada.
Ao ver Sigmund a beira da morte, Hiordis revela a sua gravidez a Sigmund, que lhe deixa os fragmentos de sua espada para o filho ainda não nascido.
Hiordis se casa com o rei Alf, que resolve enviar Siegfried a Regin (Regin era o mais habilidoso dos homens. Ele era sábio, cruel e versado em magia).


Então Regin constrói uma espada para Siegfried, que a quebra ao testar em uma bigorna.
Por ter sido quebrada, Regin o faz outra espada, que também quebra. Por fim, Regin constrói uma grande espada para Siegfried a partir dos fragmentos da espada deixada por Sigmund.
O resultado é a Gram (Balmung/Nothum), que ao ser testada corda em duas partes a bigorna.
Utilizando Gram, Siegfried então mata o dragão Fafnir, e se banha com o sangue do inimigo ganhando invulnerabilidade (exceto por um dos ombros coberto por uma folha durante o processo).

Curiosidade: Na série de games "Soul Calibur", é possível jogar com Siegfried e sua famosa Gram é uma espada desbloqueável através do gameplay.

3 - Kusanagi-no-Tsurugi a espada do Deus Susanoo (também chamada Ama-no-Murakumo-no-Tsurugi, ou Espada que Colhe as Nuvens do Céu)


Conta a lenda que o Deus japonês Susanoo encontrou a família do Deus da terra Kunitsukami de luto. Quando Susanoo perguntou o que houve, foi lhe dito que sua família estava sendo devastada pelo terrível Yamata no Orochi (uma serpente de oito cabeças, que comeu sete das suas oito filhas).
Foi preparada então uma armadilha para Orochi usando oito vasos de sake (vinho feito de arroz) que foram colocados atrás dos oito portões sagrados da Província de Izumo. Orochi caiu na isca e colocou cada uma das cabeças através dos portões para beber o sake. Com essa distração, Susanoo cortou as oito cabeças da besta.
Ele cortou cada cabeça para depois cortar também as oito caudas.
No entanto, na quarta cauda, ele descobriu que havia uma grande espada de dentro do corpo da criatura.


Esta espada se chamava Ama-no-Murakumo-no-Tsurugi, e foi dada por Susanoo á Deusa Amaterasu como um pedido de desculpas pois haviam brigado.
Essa espada foi transmitida de geração a geração é parte do tesouro real japones.
O primeiro arco da série The King of Fighters é baseado na lenda de Susanoo e Yamata no Orochi.

Curiosidade: O protagonista da série é Kyo Kusanagi seu arquirrival Iori Yagami e Chizuru Kagura unem forças para derrotar Orochi utilizando as três relíquias do tesouro real japonês.

4 - Excalibur (também chamada de Caliburn, Calesvol, Kaledvoulc'h, Caledfwlch ou ainda Caliburnus)


É a lendária espada do Rei Arthur, por vezes associada a poderes mágicos e a soberania legítima da Grã-Bretanha.

A espada foi dada a Arthur pela Dama do Lago, e fazia parte de uma antiga profecia que dizia que aquele que fosse digno uniria o povo sob a guarda da sua espada (já que Arthur era digno, será que também levantaria o martelo de Thor?).

O nome Excalibur, aparentemente, tem origem na palavra galesa “Caledfwlchs”, que é a combinação das palavras “dura” e “quebrar”. O autor Monmouth, ao traduzir o mito para o latim traduziu para “Caliburnus”, influenciado pela palavra latina “chalybs”, que significava “aço”. Essa tradução foi feita no início do século 13 e, então, ganhou o mundo.


Caledfwlchs aparece primeiramente em várias obras mitológicas galesas, como sagas, poemas e prosas, onde parece ser um artefato muito importante para esse grupo étnico. Historiadores e professores de literatura inglesa medieval apontam que o termo “Caledfwlchs” aparece centenas de vezes em contos diversos escritos entre 950 e 1350, não somente no enredo do Rei Artur.

Mas já sabemos como Caledfwlchs virou Caluburnus. Mas e Excalibur? Simples. Isso aconteceu com as traduções francesas das sagas britânicas. Os primeiros registros de traduções aparecem como “Escalibor”, depois “Excaleibor” e, finalmente, “Excalibur”.

Curiosidade: No episódio 1.51 chamado "Excalibur" da série original Thundercats há um confronto entre Excalibur e a Espada Justiceira é seriamente danificada. Aparentemente a única espada capaz de superar a Espada Justiceira é a lendária espada do Rei Arthur.

5 - Durindana (também chamada Durandal, Durlindana, ou ainda Durandarte)

Durindana é a espada do conde Rolando (em italiano, Orlando), recebida de Carlos Magno quando de sua investidura como cavaleiro, aos dezessete anos de idade. De acordo com o poema Orlando Furioso de Ludovico Ariosto, ela pertencera outrora a Heitor de Troia.



afirma-se que a espada contém, em seu punho de ouro, um dente de São Pedro, sangue de São Basílio, um fio de cabelo de São Denis e um fio da capa da Virgem Maria.


Na França, pretende-se que a espada ainda existe, cravada num rochedo em Rocamadour, na Occitânia.

Além destas há outras grandes espadas que também podem ser consideradas como lendárias, mas como a ideia aqui é um montar um Top 5, abordaremos elas em um novo artigo mais tarde.
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »